segunda-feira, 11 de abril de 2016

"Bancos brasileiros podem estar subestimando inadimplência, diz Moody's", por Portal "Investing.com"

Interessante a matéria publicada hoje pelo portal Investing.com

Justamente, um pouco depois de eu escrever um artigo sobre "Crise bancária em gestação no Brasil", e escrever vários outros tangenciando e questionando o atual patamar das provisões dos bancos brasileiros, assim como eventuais impactos sobre os bancos brasileiros por conta do do trágico desempenho da economia brasileira

Vamos a matéria:

Crédito Investing.com-Reuters

http://br.investing.com/news/mercado-de-ações-e-financeiro/bancos-brasileiros-podem-estar-subestimando-inadimplência,-diz-moody's-174585

Bancos brasileiros podem estar subestimando inadimplência, diz Moody's

Ações e Financeiro
11.04.2016 14:09

SÃO PAULO (Reuters) - O crescente volume de reestruturação de empréstimos dos bancos brasileiros pode estar subestimando a inadimplência, enquanto a cobertura com provisões pode estar superdimensionada, afirmou a agência de classificação de risco Moody's nesta segunda-feira.

Segundo a agência, o volume de reestruturação de crédito no país subiu 37 por cento em 2015 sobre um ano antes, impulsionado por calotes e pelo que chamou de pré-inadimplência em diferentes classes de empréstimos, levando os principais bancos a mudarem cada vez mais os termos e condições dos contratos de empréstimo.

Empréstimos reestruturados são buscados por tomadores em dificuldades financeiras e que já têm operações em atraso. A Moody's diz temer que os bancos brasileiros tenham usado a reestruturação para evitar reconhecer o aumento da inadimplência.
"O aumento das reestruturações pode mascarar o crescimento da inadimplência e também aponta para um declínio da cobertura com provisões", afirmou o analista Farooq Khan.

A agência calcula que o aumento das reestruturação de empréstimos provocaria uma alta de 180 pontos-base no índice de calotes acima de 90 dias em dezembro e um declínio de 60 pontos-base na cobertura com provisões. Segundo o Banco Central, o índice era de 5,3 por cento no fim do ano passado.
De acordo com a Moody's, embora cinco dos maiores bancos do país tenham provisionado o equivalente a 51 por cento de seus empréstimos renegociados, eles não divulgam seus níveis de renegociação de empréstimos.

(Por Aluísio Alves)