domingo, 23 de abril de 2017

"Falido, Rio deve passar pelo menos uma década em crise", capa do Jornal "O Estado de São Paulo" de hoje

"Falido, Rio deve passar pelo menos uma década em crise", capa do Jornal "O Estado de São Paulo" de hoje




Abaixo, parte dela:

Em decadência política, Rio viverá uma década de crise

Faltam recursos para serviços básicos e salários de servidores; Estado está em ‘situação falimentar’, diz secretário da Fazenda. Caos expõe o desarranjo do setor público do País

23 Abril 2017 | 05h00

Mergulhado em caos econômico, político e social, o Rio tenta entender como chegou à maior crise de sua história. O rombo do Estado neste ano, de R$ 22 bilhões, é resultado de uma combinação que inclui recessão econômica, retração nas atividades da indústria do petróleo, queda da arrecadação e déficit previdenciário. “A situação é falimentar”, diz o secretário da Fazenda, Gustavo Barbosa. A Federação das Indústrias do Estado do Rio (Firjan) prevê que, mesmo com o plano de recuperação fiscal, o Rio voltará a arrecadar mais do que gasta somente em 2029. Apenas em 2038 o Estado será capaz de pagar, integralmente, os juros e a amortização da dívida com a União.

A corrupção disseminada por toda a administração agravou o quadro e acabou por levar à prisão um ex-governador, ex-secretários e cinco dos sete conselheiros do Tribunal de Contas. O procurador da República Sérgio Pinel, da força-tarefa da Lava Jato no Estado, diz que os desvios atribuídos pelas investigações ao ex-governador Sérgio Cabral (PMDB) e seu grupo político ajudaram a piorar a situação. >>>>>>>>>>>>>>>>

O descalabro do Rio expõe de forma mais aguda o desarranjo que tem tomado conta de boa parte do setor público no País, resultado principalmente de inépcia administrativa e profundo desprezo pela seriedade no trato do dinheiro público.