quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

"Fascistas de esquerda e de direita criam clima de terra arrasada", por Jornalista Reinaldo Azevedo, na Revista VEJA

Ótimo o texto de Reinaldo Azevedo publicado pela Revista VEJA hoje 

Não pensem que é apenas um "texto político"...que não tenha nada a ver com o mercado financeiro

Vocês não viram nada....ainda.....

Estamos a praticamente 20 meses das eleições presidenciais de 2018.....

Em março-abril de 2018, já deveremos ter todos os postulantes ao cargo de Presidente da República. Portanto, estamos a 1 ano de saber quem estará no grid de largada

Uma eleição completamente atípica......pós-Impeachment e mergulhada num terreno cheio de obstáculos,,,,,Lava-Jato, operações e mais operações da Polícia Federal....e mais um "monte de coisas"

Do ponto de vista político, uma incógnita enorme.

E é exatamente nesse ponto que "mora o perigo"

De que forma a democracia brasileira quer chegar em março-abril de 2018 ?

Intacta ou destroçada ? 

Quem será a "voz dos excluídos" ? 

Um "populista à esquerda", um "populista à direita", um "zero a zero" ou alguém que possa efetivamente montar uma equipe econômica, fazer as reformas necessárias, não tolerar inflação acima de 3%-4% ao ano, enfim, ser um líder que traga o país de volta aos trilhos ?

O horizonte á frente parece bonito...

Dólar caindo, bolsa subindo, promessas disso....daquilo....."PEC dos Gastos" já no berço....novos IPO's, índice imobiliário "bombando", VALE em "lua de mel" com os investidores, "Programas de Demissão Voluntária" a todo o vapor no BB , na  Caixa e na Petrobrás.

Mas, é só isso ?

E quando nos aproximarmos do fim de 2017 ? 

A Grande LTA de 4 anos do Dólar já terá sido tocada na faixa de 3 reais, Bovespa já terá se aproximado do seu topo histórico, o Congresso americano já terá digerido os "gastos trilhardários" de Donald Trump, e o FED já terá se convencido que Bolhas são Bolhas e não são apenas "histórias de pescador", seja no Hemisfério Sul ou norte.

E aí, voltaremos para a terra.....terra no sentido literal, seja o Planeta, seja o terreno físico....

Quem será a "voz dos excluídos" ? 

A resposta determinará se paramos mais 13 anos.....ou, finalmente, decolaremos

Fiquem com o ótimo texto de Reinaldo Azevedo:

http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/fascistas-de-esquerda-e-de-direita-criam-clima-de-terra-arrasada/


Fascistas de esquerda e de direita criam clima de terra arrasada

“E você, não faz qualquer coisa por um clique?” Não! Eu os tenho aos milhões. Mas não escrevo com o propósito de despertar fúrias

Por Reinaldo Azevedo

8 fev 2017, 23h22 - Atualizado em 9 fev 2017, 06h43

Não há dúvida de que estamos na “Selva Escura”. E, desta feita, realmente não sei se haverá remissão possível. A frase tem sentido por si. Quem quiser mais tem de fazer uma pesquisa sobre  “A Divina Comédia”, de Dante.

Tenho chamado atenção neste blog há muito tempo — e, com ênfase, desde que a Lava Jato começou, em março de 2014 — para a necessidade de se preservarem instituições, leis, procedimentos. Nada disso concorre para a impunidade. Ao contrário.

Temia justamente o que vejo em todo canto. Há um clima de apreensão e desesperança, embora, tudo indica, o pior já tenha passado. Constato em certos segmentos a necessidade patológica, doentia, psicopata mesmo, de considerar que o país não passa de um amontoado de estúpidos e venais, sem futuro. Claro! Os arautos desse Vale de Caídos se consideram livres e acima do desastre.

Não deixa de ser assombroso.

Quando não temos os petistas e as esquerdas buscando desmoralizar qualquer fundamento que lembre ordem, matemática, conta, lei, lógica… Quando não é isso, lá vêm as Górgonas da extrema direita com uma coleção de imbecilidades, falcatruas e baixarias que fazem o PSTU, o PSOL e o PCO se parecerem com a Academia de Platão.

Foi na extrema direita que começou a circular, por exemplo, um texto apócrifo afirmando que o ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, indicado por Michel Temer para o Supremo, conquistou essa deferência chantageando — isso mesmo! — o seu chefe.

A tese é nada menos do que esta: um ministro da Justiça, sabidamente próximo de Temer há muitos anos, teria enfiado a faca no pescoço presidencial: “Ou me indica, ou conto tudo”. Mas “tudo” o quê? Ora, a farsa não precisa de tantos detalhes.

Qual é a aposta? Que as pessoas partirão para o clichê: “Onde há fumaça, há fogo”. E, bem, nem há fumaça nem há fogo. Só a marcha da estupidez.

O que impressiona é que a extrema direita e a extrema esquerda reproduziram essa baixaria, cada uma emprestando seus próprios acentos perversos à farsa, na certeza de que muita gente vai querer ler, ouvir, saber, passar adiante…

E isso aconteceu, não? A recente campanha eleitoral americana evidenciou a disposição — DE REPUBLICANOS E DEMOCRATAS — de trabalhar deliberadamente com a mentira. Sim, sabe-se que será evidenciada depois. Mas sempre sobra um resquício, alguma coisa, o fio da suspeita… “Essa pessoa não é aquela que…?” E, nesse quê, pode estar uma mentira grotesca.

Não! O jogo é mais pesado do que o da tal “pós-verdade”, que designa muito mais uma convicção genuína (afinal, o sujeito pode ser honesto na sua estupidez contra os fatos) do que uma farsa deliberada. Estamos falando de velhos conhecidos como calúnia, injúria e difamação, mas agora com o poder das redes.

Cliques
Como sabe a VEJA.com, não tenho motivos para reclamar os meus cliques. Jornal, rádio — programa de maior audiência do Brasil — TV… Sou um dos jornalistas mais presentes no debate. E lastimo o horror de fazer qualquer coisa para ter visibilidade. E sempre com o intuito de destruir, agredir.

Lembrar que um país tem de se pautar por leis virou coisa de gente esquisita, conversa enviesada de quem quer defender a impunidade, mas busca subterfúgios. Vejo o caso da decisão do juiz (será outro comentário) que houve por bem dar uma liminar contra a nomeação de Moreira Franco para a Secretaria- Geral da Presidência… A coisa é escancaradamente ilegal. E não é possível que ele não o saiba. Mas as Górgonas aplaudem a sua “coragem” porque aplaudem o mal.

“E você, não faz qualquer coisa por um clique?” Não! Eu os tenho aos milhões. Mas não escrevo com o propósito de despertar fúrias. O que é mais fácil? Defender que Eduardo Cunha permaneça indefinidamente preso ou defender a lei? E que lei? Não há razão para a preventiva (Artigo 312 do Código de Processo Penal), como sabe qualquer pessoa minimamente informada. Mas sobram elementos favoráveis a uma condenação — que resultará, dados os crimes, em prisão.

Mas quê… “Dane-se a lei! Queremos Cunha preso com ou sem base legal. E também Lula. E mais um monte de gente.”

Que seja! Mas isso pode ser feito respeitando a Constituição e as leis ou teremos de passar por um período de “ditadura virtuosa”? Pois é… Os fascistas de esquerda e de direita evidenciam, nesse aspecto mais do que em qualquer outro, a sua natureza comum. Eles só acreditam no voluntarismo dos mobilizados. A esquerda mobiliza seus coletivos em nome da justiça e da igualdade. E a extrema direita açula suas falanges em nome da honra e contra a corrupção. O problema é que, hoje, não distinguem corrupção de garantias democráticas.

É claro que tudo pode dar errado — em parte, já está dando. Esse clima de terra arrasada, ideal para os vigaristas, está chocando o ovo da serpente.

Vamos ver o que dirão as pesquisas eleitorais vindouras. Não creio que sejam animadoras para quem quer um país desenvolvido, pautado pela economia de mercado, com um estado eficiente.

E não! Não culpem esta ou aquela ações objetivas do governo. Dado o descalabro herdado, Michel Temer se comportou muito bem até aqui e deu passos importantes, já enumerados por mim em outros artigos

A irresponsabilidade de agora é essencialmente política. E o vale-tudo deriva do fato de que a Constituição, as leis, os códigos todos e a institucionalidade constituem empecilhos a ser vencidos.

A extrema esquerda acha isso.

A extrema direita acha isso.

Escolha o seu caminho. Escolhi o meu há muito tempo e, para ficar no caso, eu o tenho mantido nos 11 anos (em curso) deste blog.