segunda-feira, 9 de janeiro de 2017

Não !!.....Tom Lee, ex-JP Morgan, o "Cara mais bull-market" de toda Wall Street, virou "Bear-Market" ?...Em entrevista ao canal CNBC, publicada hoje, Tom Lee, "vira" baixista", está pessimista com Trump, e vê uma queda de 5%-7% do SP500...Mais...sugere que Trump demitirá a Presidente do FED

Sim meus caros eleitores !!!

Tom Lee.....ele..... o "Cara mais bull-market" de toda Wall Street virou "Bear-Market"

É o que nós vemos em entrevista ao canal CNBC, publicada hoje.

Tom Lee, "vira" baixista", está pessimista com Trump e vê uma queda de 5%-7% do SP500 no meio do caminho, ainda que preveja o SP500 em 2.275 até o final do ano.......

Sim.....isto é, rigorosamente no mesmo nível em que o SP500 é negociado no dia de hoje....nessa faixa....

Ele acredita que o SP500 cairá de 5%-7% no meio do caminho....e que, portanto,  o índice ainda apresentará melhores pontos de entrada.....

Tom Lee, ainda insinua na entrevista que Donald Trump demitirá a Presidente do FED, Janet Yellen

Curioso, é que a própria CNBC reconhece a "fama" de Tom Lee, por ser o mais otimista dos mais otimistas......mesmo quando todo mundo é contra.

Quem acompanha o blog com uma certa frequência, sabe que eu já falei mais de 4,5 vezes no Tom Lee....tem uma área do blog que dá pra pesquisar palavras-chaves.......isso pode ser verificado...

Assim, antes de colocar a matéria de hoje da CNBC, vamos resgatar um post meu de outubro último....há 3 meses aproximadamente..

Explicito mais sobre Tom Lee...sua carreira....e sua previsão para o final de 2016.....ele previa o SP500 nos 2.300 pontos....

Não chegou lá...próximo...fechou o ano em 2.239, depois de bater a faixa de 2.256....além do mais..na última sextá, dia 06-01, bateu 2.281

No meu post de outubro, eu "levanto" uma teoria do "porquê" dele especular o SP500 na faixa de 2.300....

Coloco uma cunha do SP500 de 10 anos pra chegar lá......

Vamos a parte do post de outubro.....depois, a matéria da CNBC de hoje

http://pracompraroupravender.blogspot.com.br/2016/10/eu-ia-deixar-esse-grafico-pra-algumas.html

Título do post:

Eu ia deixar esse gráfico pra algumas semanas adiante.....mas..vamos lá.....Por que Tom Lee, o "cara" mais "bull-market" de toda Wall Street, insiste em prever um SP500 na faixa de 2.300 até o final do ano ?

Eu ia deixar esse gráfico pra algumas semanas adiante.....mas..vamos lá.....

Por que Tom Lee, o "cara" mais "bull-market" de toda Wall Street, insiste em prever um SP500 na faixa de 2.300 até o final do ano ?

Primeiro, é preciso entender quem é Tom Lee ?

Tom Lee é um dos "caras" mais "bull market" em toda Wall Street

Por meses e meses, ele vem mantendo uma visão otimista dos mercados americanos, subindo e subindo suas previsões em relaçao aos topos do SP500

Mais....é preciso entender de onde vem Tom Lee....

Um resumo da matéria abaixo da Bloomberg de 2014 já explicita:

http://www.bloomberg.com/news/articles/2014-09-15/thomas-lee-starts-research-boutique-after-jpmorgan

Thomas Lee, the former JPMorgan Chase & Co. chief equity strategist who spent 24 years at some of Wall Street’s biggest firms, has started a seven-person research boutique.
Lee, 45, left New York-based JPMorgan in March to start Fundstrat Global Advisors with John Bai, former head of Asia and U.S. equity sales at Mizuho Securities, according to a statement today from the new company. Lee, who started at Kidder Peabody & Co. in 1993 and worked at Salomon Smith Barney before joining JPMorgan in 1999, will lead a research team of four, while Bai oversees sales.


Ou seja, Tom Lee, em 2014, deixa o JP Morgan, onde era Chefe de "mercados de renda variável" para montar sua própria "Asset Management", ou que ele chama de "boutique", a "Fundstrat Global Advisors"

Não percamos a cronologia de toda a questão

Abaixo, tem uma matéria da CNBC, de sexta-feira, mostrando uma entrevista de Tom Lee, novamente defendendo o SP500 até a faixa de 2.300 até o final do ano, o que daria ainda uma alta de 7% até lá.....

Parênteses......a CNBC o entrevista quase que toda quinzena.....

Mas, atenção !!!

Vou recolocar parte da matéria da Bloomberg, a mesma em que ela mostra a saída de Lee para montar sua "Asset"ou "boutique"

Na matéria, Tom Lee, em meados de setembro de 2014, prevê um SP500 até o final do ano em 2.100....

Acertou ?

Sim !!!....vejam o gráfico abaixo....o SP500 exatamente na faixa de 2.100 ao final de 2014.

Mas, contudo, todavia, entretanto.....no meio do caminho tinha  1.825......

Vejam no retângulo marcado por mim...

A matéria da Bloomberg é de 15-09-2014....

Vejam que exatamente do meio de setembro de 2014 até o final de setembro-início de outubro, o SP500 despenca até a faixa de 1.825....uma queda de aproximadamente 10%

Vamos a matéria da Bloomberg de  setembro de 2014....

Depois, aos 2 gráficos...por fim.....a matéria de 30-09-2016....da última sexta-feira, quando Tom Lee prevê uma alta de 7% até o final do ano....

Ei......esperem !!!

Por que Tom Lee está confiante na ida até a faixa de 2.300 para o SP500 até o final do ano ? Vejam no final da matéria que ele até mesmo reconhece o problema com o Deutsche Bank...

Mas, por que ?

Vejam, antes de tudo, o gráfico abaixo, com uma cunha bem longa....de 7-8 anos do SP500 destacada por mim...

Vejam até onde vai o vértice do triângulo.....Ali na faixa de 2.300-2.400...é justamente pra onde Tom Lee, muito provavelmente olha....

Reparem em 2007-2008, que, mesmo com vários ruídos ali por volta de 2007, o mercado volatiliza, mas volta a fazer um topo histórico ali na faixa de 1.575 em out-2007.....depois, colapsa

Vamos ao gráfico


SP500, Semana, escala logarítmica, período 2005-2016



__________________________________________________________

Matéria de hoje na CNBC







Tom Lee, Wall Street's biggest bull, thinks the market's headed lower
Jeff Cox | @JeffCoxCNBCcom
2 Hours Ago
CNBC.com

For years, Thomas Lee has been known as one of Wall Street's biggest bulls, finding optimism in the market where others often saw obstacles. But that's all changing now, due in large part to fears about what will happen when Donald Trump takes office at the end of next week.

In fact, Lee believes the first half of 2017 will see the market slide from its current record perch, then rally just enough to get back to unchanged when the final closing bell rings.

The year will begin, according to an analysis from the head of research at Fundstrat, with policy confusion amid a flattening yield curve in long-term bonds. That could cause a 5 percent to 7 percent drop in the S&P 500.

Lee's first-half price target is 2,150, with the year-end number at 2,275.

"Is the first half of the year a great time to be buying stocks? I think you'll get a better entry point," Lee said on CNBC's 

In a report for clients, Lee expressed worries that Trump's presidential term could see "a sloppy White House organization (that) creates confusion on U.S. policy, particularly as tweets become policy." He thinks much-anticipated fiscal stimulus may not become reality, and even insinuated that Trump will "fire" Fed Chair Janet Yellen, even though the president lacks the authority to remove central bank officials. Her term runs through February 2018.

Lee also includes potential criticism from President Barack Obama after he leaves office as a potential downside risk for markets.

As for upside risks, investors likely will "pour record money" into the market at a time when global growth surges and Trump becomes "an incredibly popular president," he wrote.

Lee's predictions are out of consensus though many of his peers on Wall Street have expressed some caution about the markets, particularly after a 6.4 percent S&P 500 jump since the election. CNBC analyst consensus is for about a 4.3 percent price gain in the market — or just more than half what the index normally gains in a year.

The Street view also is that the economy could see substantial growth from Trump's intentions to spend $1 trillion or more on infrastructure that will go with steep tax cuts and a rollback of regulations.

Despite his subdued view on the market, Lee believes the year will see solid economic gains and above-consensus earnings growth of 11 percent.

For investors, though, the sledding will get a little tricky.

Lee is encouraging a focus on what he calls "CRAP" — computers, resources, American banks and phone carriers. He also is overweight value over growth, and small-caps. Top bets are energy, telecoms and financials, and biggest "avoids" are health care, staples and utilities.