quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cadê o fundo ?.....Hoje, no Portal G1....."'Prévia' do PIB tem retração de 0,79% no 3º trimestre, informa Banco Central"

Nada ?

Nem pegando no tranco o Brasil sai do atoleiro ?

Afinal, é o segundo semestre......e blá...blá...blá....

Quero ver ainda os preços dos imóveis cairem 70%.......congelarem o salário do funcionalismo público.......o corte imediato da quase totalidade dos próximos concursos públicos.....o corte profundo nos gastos públicos....a privatização de mais uma centena de empresas estatais
....enfim....ainda falta....muito....mas muita coisa...

Levem o pessoal da PUC-RJ.......Tomem uma aula com o pessoal de 1994, do Plano Real

Matéria Portal G1 publicada agora há pouco:

http://g1.globo.com/economia/noticia/2016/11/previa-do-pib-tem-alta-de-015-em-setembro-informa-banco-central.html

17/11/2016 08h31 - Atualizado em 17/11/2016 09h15
'Prévia' do PIB tem retração de 0,79% no 3º trimestre, informa Banco Central

Resultado oficial do PIB será divulgado pelo IBGE em 30 de novembro.
Somente em setembro, porém, indicador teve alta de 0,15%, revela BC.
Alexandro Martello
Do G1, em Brasília

A economia brasileira permaneceu em contração no terceiro trimestre deste ano, apontando que o país ainda ainda não conseguiu sair da recessão, segundo informações divulgadas pelo Banco Central nesta quinta-feira (17).
O chamado Índice de Atividade Econômica do BC, o IBC-Br – um indicador criado para tentar antecipar o resultado do Produto Interno Bruto (PIB), que é divulgado pelo IBGE – teve retração de 0,79% em de julho a setembro deste ano, na comparação com o trimestre anterior. O resultado foi calculado após ajuste sazonal (uma espécie de "compensação" para poder comparar períodos diferentes).
De acordo com o indicador da autoridade monetária (dados revisados), esse foi o sétimo trimestre seguido de "tombo" no nível de atividade. A última vez em que o IBC-Br registrou expansão foi no quarto trimestre de 2014 (+0,11%). Os números mostram ainda que o "encolhimento" da atividade no terceiro trimestre deste ano foi maior do que a registrada de abril a junho - quando houve uma queda de 0,42% no indicador.