quarta-feira, 24 de agosto de 2016

Não...não é possível ler um diagnóstico pessimista sobre o Brasil.....será que a Moody's andou lendo o blog ?......."Moody's vê cenário fraco para crédito na A.Latina; Brasil é destaque negativo", por Investing-Reuters

É possível ler um diagnóstico pessimista sobre o Brasil diante da euforia que circula nos últimos 2-3 meses ?

Ou será que a Moody's andou lendo o blog ?

Vamos a matéria abaixo publicada agora pouco no site Investing.com, parceria Reuters

Leiam com atenção....

Parece ou não que o pessoal andou lendo o blog ?

Está lá.....

Crédito fraco......e até mesmo há uma frase até mesmo para os bancos....

Ela diz::

"As condições econômicas mais baixas pesarão sobre os bancos da região, prejudicando a qualidade dos ativos e pressionando os lucros."

http://br.investing.com/news/mercado-de-ações-e-financeiro/moody's-vê-cenário-fraco-para-crédito-na-a.latina;-brasil-é-destaque-negativo-199528


"Moody's vê cenário fraco para crédito na A.Latina; Brasil é destaque negativo"

Moody's vê cenário fraco para crédito na A.Latina; Brasil é destaque negativo
Ações e Financeiro
4 horas atrás

SÃO PAULO (Reuters) - As condições de crédito seguirão frágeis na América Latina em 2017, especialmente no Brasil, diante do fraco desempenho econômico regional, afirmou a Moody's nesta quarta-feira.
As condições econômicas mais baixas pesarão sobre os bancos da região, prejudicando a qualidade dos ativos e pressionando os lucros. No Brasil, os bancos seguirão sob pressão mesmo quando a economia emergir de uma recessão de dois anos. Além disso, o elevado desemprego pode elevar os calotes de pessoas físicas.

"A previsão da Moody's para as condições de crédito na America Latina melhorou no último ano, mas continuamos a esperar condições fracas", disse Paloma San Valentin, diretora-gerente da Moody's. "Desde o mesmo período do ano passado, as condições de crédito se deterioraram antes de melhorarem recentemente, mas a região tem um longo caminho a percorrer."

A agência avalia que o crescimento baixo deve persistir e tende a ser mais baixo do que a América Latina experimentou na última década. Além disso, com expectativas econômicas frágeis, em meio a ajustes políticos e ao risco de reversões bruscas, o prazo para normalização das condições de crédito é incerta.

No geral, grandes conglomerados latino-americanos expostos às economias domésticas do México, Chile e Peru têm a vantagem de um crescimento econômico mais forte, enquanto as empresas brasileiras enfrentam condições mais difíceis, disse a Moody's no relatório.