quinta-feira, 11 de agosto de 2016

"BB vê lucro líquido ajustado 40% menor no trimestre, de R$ 1,8 bilhão ", por Jornal "Valor"

Abaixo, os números do Balanço do Banco do Brasil publicados agora há pouco..

Primeiro parágrafo, matéria Jornal "VALOR"

Segundo paragrafo, matéria portal G1

http://www.valor.com.br/financas/4667411/bb-ve-lucro-liquido-ajustado-40-menor-no-trimestre-de-r-18-bilhao

1/08/2016 às 07h37
BB vê lucro líquido ajustado 40% menor no trimestre, de R$ 1,8 bilhão 

Por Talita Moreira e Felipe Marques | Valor SÃO PAULO  -  (Atualizada às 7h59)

O Banco do Brasil (BB) registrou lucro líquido contábil de R$ 2,465 bilhões no segundo trimestre, com queda de 18% sobre segundo trimestre de 2015. No primeiro trimestre, o banco havia tido lucro contábil de R$ 2,359 bilhões. O resultado ajustado, em que o banco inclui R$ 1,209 bilhão em provisões para créditos duvidosos adicionais, foi de R$ 1,801 bilhão no trimestre, queda de 40,8% em relação ao mesmo período do ano anterior. 
No primeiro trimestre, o resultado ajustado foi de R$ 1,286 bilhão. A expectativa de analistas compilada pelo Valor era de um lucro ajustado de R$ 1,95 bilhão para o banco público no período, queda de 35,8%. No primeiro semestre, o lucro ajustado do banco caiu 49,1% ante igual período de 2015, para R$ 3,087 bilhões.



Portal G1

http://g1.globo.com/economia/negocios/noticia/2016/08/lucro-do-banco-do-brasil-cai-no-2-trimestre-de-2016.html

11/08/2016 07h07 - Atualizado em 11/08/2016 07h39

Lucro do Banco do Brasil cai 18% no 2º trimestre de 2016

Ganhos somaram R$ 2,465 bilhões no período.

No primeiro semestre do ano, lucro recuou 45,3% e chegou a R$ 4,82 bi.

Do G1, em São Paulo

O Banco do Brasil anunciou nesta quinta-feira (11) que teve lucro líquido de R$ 2,465 bilhões no segundo trimestre de 2016, depois de atingir ganhos de R$ 3,008 bilhões no mesmo período do ano anterior: uma queda de 18%. Já em relação aos três meses anteriores, o lucro da instituição aumentou 4,5%.  Naquele período, os ganhos chegaram a R$ 2,359 bilhões.
No primeiro semestre do ano, o lucro somou R$ 4,824 bilhões e caiu 45,3% em relação ao mesmo período do ano anterior. 
O banco cortou a projeção para o crescimento de sua carteira de crédito ampliada neste ano para o intervalo de queda de 2% a alta de 1%. A previsão anterior era de expansão entre 3 e 6%.
Já a expectativa para a margem financeira bruta passou de 7% a 11% para 11 a 15%.
O índice de inadimplência das operações vencidas há mais de 90 dias atingiu 3,27% em junho. No balanço anterior, a taxa era de 2,6%.