quinta-feira, 28 de abril de 2016

Vamos ao que interessa......"Provisão para devedores duvidosos" do Banco Bradesco explode e aumenta 30% em relação ao 4T-2015 e 52% em relação ao 1T-2015

Foi publicado o Balanço do Banco do Bradesco agora pela manhã.....

Conforme o próprio press release do Banco:

O Lucro Líquido Ajustado, no 1º trimestre de
2016, foi de R$ 4,113 bilhões (redução de 3,8%
em relação ao Lucro Líquido Ajustado de
R$ 4,274 bilhões no mesmo período de 2015),
correspondendo a R$ 3,52 por ação e
rentabilidade de 17,5%(2) sobre o Patrimônio
Líquido Médio Ajustado(2)


Mas, vamos nos ater a linha "Provisão para Devedores Duvidosos"



Visto com "lupa" no Balanço e como consta no próprio relatório do banco:

"Provisão para devedores duvidosos" do Banco Bradesco explode e aumenta 30% em relação ao 4T-2015 e 52% em relação ao 1T-2015


Provisão para Devedores Duvidosos (1)

No 1º trimestre de 2016, a despesa de provisão para
devedores duvidosos totalizou R$ 5.448 milhões,
registrando uma variação de 30,0%, ou
R$ 1.256 milhões, em relação ao trimestre anterior, e
52,2%, ou R$ 1.868 milhões, em relação ao mesmo
trimestre de 2015, impactada, em grande parte:

 (i)
pelo efeito do alinhamento do nível de
provisionamento de operações com clientes
corporativos, com destaque a um caso específico,
cujo o agravamento de rating, impactou em
R$ 836 milhões; 

e (ii) pela elevação da inadimplência
no trimestre, decorrente, principalmente, da
desaceleração da atividade econômica. Ressalta-se
que, o saldo das operações de crédito – conceito
Bacen manteve-se estável no ano e, no trimestre,
registrou diminuição de 3,6%.
Os efeitos do crescimento da inadimplência foram
mitigados pelo fortalecimento da política e dos
processos de concessão de crédito, da qualidade das
garantias obtidas, bem como do aprimoramento dos
processos de recuperação de crédito. Destaca-se
que, a partir deste trimestre, passou a ser utilizado o
efeito da valoração do sistema de gestão de garantias
para o provisionamento das operações com veículos,
cuja alteração não produziu efeitos relevantes na
despesa de provisão para devedores duvidosos.

Análise Resumida do Resultado Ajustado

Índice de Inadimplência (1) (2)

Índice de Inadimplência acima de 90 dias

Conforme previsto, o índice de inadimplência,
compreendendo o saldo das operações com
atrasos superiores a 90 dias apresentou aumento
no trimestre, decorrente: 

(i) da continuidade da
conjuntura econômica desfavorável, com impacto
na qualidade da carteira de crédito, principalmente,
nas Micro, Pequenas e Médias Empresas;

 e (ii)
pela redução da carteira de crédito no 1º trimestre
de 2016, inclusive, também, nas Micro, Pequenas
e Médias Empresas.

Índice de Inadimplência de 15 a 90 dias

No trimestre, a inadimplência de curto prazo,
compreendendo as operações vencidas de 15 a 90
dias, apresentou crescimento, impactado, em
parte, devido:

 (i) a questões sazonais do início de
ano; 

e (ii) a casos pontuais de clientes
corporativos.